Está escrito: Nenhum problema pode ser resolvido no mesmo grau de consciência que o gerou - Albert Einstein

Na imagem a frase de Albert Einstein diz: ” Nenhum problema pode ser resolvido no mesmo grau de consciência que o gerou.”

Situação bem comum é as pessoas querendo superar seus problemas, que as circunstâncias mudem, sem elas tomarem nenhuma atitude diferente, sem mudarem nada do panorama. Querem a solução mágica com tudo igual como sempre foi e aquele desejo sendo realizado por encanto.

Alguma coisa tem que mudar no contexto. Isso implica que algo pode ser deixado para trás sim. A pessoa não pode se deixar dominar pelo medo do futuro, o medo do que há de vir, o medo da mudança. Não há resolução de problema no mesmo grau de consciência que o gerou.

De tempos em tempos digo a frase: “Sou o oráculo. Não sou a fada madrinha.”

É fundamental ampliar a mente com liberdade e lucidez, e se permitir atitudes novas, ares novos e novos panoramas. Quebrar as correntes. Ser livre. Buscar mais, ouvir mais, ler mais, circular, praticar o já conhecido, interagir com pessoas diferentes.  Palavra-chave: Receptividade.

Outra situação bem comum tenho percebido enquanto consultora: Uma parte significativa das pessoas, mulheres e homens, em relação aos seus objetivos quando procuram, pretenderem a satisfação pessoal, mas não necessariamente proporcionar a felicidade à uma outra pessoa ou à sociedade. O foco da visão é a satisfação do si mesmo.

Como esperar que as coisas deem certo assim, se somos células fazendo parte de um organismo em interação? Nós, o planeta, o Cosmos, somos um ecossistema e suas leis eternas já existiam antes de nós nascermos. Não funcionamos sozinhos e por este motivo os acontecimentos uma hora não vão contribuir com uma vontade unilateral.

Dessa maneira, focando a visão e as atitudes em beneficiar ao invés de ser apenas suprido de uma carência, incluindo tanto a si mesmo quanto outras pessoas e o planeta, mesmo que não aconteça imediatamente o que se deseja, o caminho é esse! Antecipa-se, assim, a conclusão favorável. Uma hora o karma acaba, se não acumulamos ainda mais em nossa conta de equívocos e débitos ou as provas acabam. Deus abençoa, concede a Sua Graça, as oportunidades surgem, uma porta abre, uma pessoa nova ou várias pessoas aparecem com as soluções, as ferramentas ou o amor.

Além do karma que uma pessoa possa estar enfrentando, as provas existem sim. Estamos num mundo de expiação e provas conforme afirma o Espiritismo. 

Toda fortaleza, confiança e paciência necessária existe dentro da gente quando nos apoiamos na fé em si e em Deus. Deus não coloca no  caminho uma prova maior, uma tempestade maior, do que aquela que é possível se enfrentar com total êxito e amor no coração. Depois de passar por isso a pessoa sai mais forte, confiante e preparada do que antes.

Ou parte-se para interesses mais elevados, sem se fazer macumba, magia negra, querendo de qualquer maneira a volta da pessoa amada em três dias, independente da escolha do outro, ou querendo por vingança prejudicar alguém para se satisfazer com isso. Gastam muito dinheiro com magia negra e não dá certo no fim das contas. É a completa ignorância de Deus, da verdadeira natureza do amor e das leis kármicas.

A manipulação, a maldade, a desonestidade e a corrupção têm um preço caríssimo a ser pago num longo futuro pela frente. Afastam ainda mais para longe a felicidade e se não agora, em algum momento aproximam problemas graves para junto.

Parte-se para interesses mais elevados tal como um adulto equilibrado deixa de lado os interesses em torno das brincadeiras de criança, porque agora prefere se entreter com outros interesses pertinentes à sua idade. Os passos certos, então, começaram a movimentar o destino a favor.  

Para superar os problemas são importantes: os pensamento positivos, as afirmações em frases positivas, a concentração em imagens positivas (se vendo já realizado), as orações e as músicas espirituais e positivas. Dedique um tempo do seu dia meditando assim com fé e alegria. 

A necessidade e a vontade de superar desafios saudáveis e problemas circunstanciais aflitivos podem vir a estimular a consciência, quando se permite um olhar diferenciado e complementar.

Até determinado momento experimentamos a consciência segundo uma ordem que enfatiza aspectos perspectivos de observação, regulada por condicionamentos individuais, familiares, socioculturais, religiosos e kármicos.

Sim, não é necessariamente preciso negar, eliminar ou mudar de consciência, quando se inclui algo a mais na consciência já existente. Estou falando de expansão. A expansão ela inclui tudo, sem faltar nada. A expansão ela vai adiante e além, olhando e vendo, por exemplo, os pares opostos e complementares.

Isso pode significar ótimo alívio, em algumas ocasiões: o se permitir sem se negar, sem negar as circunstâncias e nem a outros. É uma aceitação, um contentamento, sendo feliz com tudo o que se tem e é, preenchido de um sentimento inocente de gratidão às pessoas e à Deus.

É estar consciente. Se proteger sim de maneira equilibrada, porém sem se impedir pelas feridas antigas por medo. É ultrapassar o exagero da autoproteção e, por conseguinte, da ativação excessiva dos mecanismos de segurança já conhecidos. É um permitir responsável e saudável, superando os limites e as barreiras auto impostos.

É necessário sair do casulo para virar borboleta e voar.

A paz dos pensamentos e das escolhas individuais é um espaço interior onde não há interferências, porque basicamente se colabora, acrescenta, coopera, sem diminuir nada e nem ninguém. E também não há nada perdido, mesmo quando haja transformação.

Surge a mente de um ser intacto que interage quando resolve interagir por liberdade.

Pessoas têm muito medo disso hoje em dia e por vezes exageram a respeito de um risco não calculado, além da medida da sensatez, sempre necessária.

Por outro lado, o que pode ser bom para um eu, pode não ser bom para uma pessoa com sua própria trajetória e característica; reconhecer isso faz parte de um aprendizado sincero.

O espaço de paz, equilíbrio e harmonia existe dentro da gente, na nossa mente e no coração. É o espaço de estar consciente, procurando a clareza, o entendimento.

Sem dúvida, a lucidez e a gratidão pelas novas descobertas melhoram a percepção de um ponto qualquer escolhido para ser pensado e administrado. A gratidão e o amor abrem a mente e o coração e atraem como imã.

E pode vir a melhorar a forma como, de modo geral, nos relacionamos com pessoas que são elas mesmas por si próprias, cada qual com seus valores, preferências, interesses e vontades.

“Não há despertar de consciência sem dor.” (Carl Gustav Jung)

Ele completa mais ou menos assim: Por causa da dor, evitamos – e também evitam – enfrentar a própria alma.

Luz e Sombra,
Sombra e Luz
Coragem de ser feliz
Amando ao próximo
Tal como a si mesmo
Sem esperar nenhum resultado dos bons atos
Mantendo a autoestima
Na capacidade de transformar-se com Amor
Toda aquela força que puder existir    (Rosana)

“Quem olha para fora, sonha.
Quem olha para dentro, desperta”. (Carl Gustav Jung) 

Atualização do texto: 26 de julho de 2020. 

 

‘Vocês devem aceitar sem contestação o que quer que lhes ocorra como graça! As dores são os pés e a alegria é a cabeça, ambos são partes da mesma entidade. Vocês não podem dar boas-vindas à alegria e rejeitar a dor ao mesmo tempo. Não podem ter o verso sem o reverso. Vocês têm de levar e aceitar o outro lado da folha de papel, junto com este lado. Isso é inevitável.

No princípio, o diamante é apenas um pedaço inerte de pedra, um seixo duro. Somente quando é cortado por um artesão habilidoso, ele se torna uma chama de fogo multifacetada! Deixem-se submeter ao mesmo tratamento para que toda a sua ignorância desapareça e vocês possam emergir como um diamante resplandecente.

Vocês devem ter esse anseio, o anseio da pedra em tornar-se diamante.’

 (Sathya Sai Baba)

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

+ 55 41 99933-3679

contato@planetafuturo.org

Rosana d’ Ávila Uchôa